Blog

Felicidade Incurável, Carpinejar
Felicidade Incurável é o mais novo livro de crônicas do escritor Fabrício Carpinejar, lançamento de Julho do Grupo Editorial Record pelo selo Bertrand Brasil, o livro me cativou pela sinceridade da simples felicidade.
Apesar de ser apaixonada por poesia e crônicas, eu nunca tinha lido nada do Carpinejar, um senhor autor, que traz a poesia no nome e em cada letra de seus escritos. E Felicidade Incurável veio para me mostrar isso e alegrar minhas leituras.
Informações

Título: Felicidade Incurável
Autor: Fabricio Carpinejar
Ano: 2016
Páginas: 272
Categoria: Crônicas;
Editora: Bertrand  Brasil
Classificação: ★★★★
Skoob | Compre: Amazon | Submarino | Saraiva

“Um amigo fez um porta-retratos com nossa foto para colocar em sua escrivaninha. Eu me senti mais do que amigo, mais parte de sua família. Foi o maior presente que ele me ofereceu. Foi uma distinção pessoal”

Queria começar a resenha com esse quote, por ser um dos meus favoritos, e por mostrar como o autor trouxe de forma singela e simples, os sentimentos e os transmitiu na escrita. Felicidade Incurável  é aquela reunião de momentos verdadeiramente únicos, mas também é como um guia de relacionamentos, das mais variadas formas, motivados pelo amor.

As crônicas são um grande bate-papo, onde o autor tenta de maneira sensível e aberta,  nos convencer de seu ponto de vista, como uma conversa longa sobre a vida e as relações e laços pessoais.
São mais de 100 crônicas com assuntos diversos, dentre  eles família, romance, amizade e todo tipo de relacionamento, em muitos, com tom poético.

“O apocalipse iminente gera a salvação. O paraíso previsível gera acomodação.”

A forma poética como ele descreve os relacionamentos e faz com que o leitor se identifique com as situações, agrega um valor único a leitura. Mas quando alguns assuntos se estendem por muitas páginas, torna a leitura um pouco prolongada demais.

Enfim, o leitura é linda e cativa o leitor, mas há um prolongamento em temas, o que pode ser  ruim ou não, depende do leitor. Eu recomendo a leitura, a edição está linda com essa capa, e a diagramação é bem simples e confortável a leitura.

Quem gosta de crônicas, já pode ir correndo comprar! Mas e ai, vocês já leram esse livro? Comentem o que acharam e se concordam com o que falei!

Beeeeijos!
12 Histórias Brasileiras

E o novo ano finalmente começou! E com ele novas perceptivas e é claro, novos projetos! Já havia um tempo que eu estava com vontade de participar de algum desafio literário, mas não consigo me identificar e tentar completar algum, geralmente o motivo disso é a preguiça mesmo.
Então eu resolvi fazer uma lista com temas baseados no que eu queria ler esse ano, e percebi que uma boa parte dos autores da minha lista, são nacionais. O que é algo que não era tão comum a uns 5 anos atrás, que se eu muito lia, um ou dois nacionais na vida. Encachei uma coisa com a outra e ai está, #12HistóriasBrasileiras é um projeto que eu proponho, não só pra mim como para todos vocês
A Estranha Mente de Seth – Primeiras Impressões

Olá!

No final de semana retrasado eu iniciei a leitura de A Estranha mente de Seth e dei continuidade no final dessa semana, eu estava meio sem tempo e acabei não escrevendo as primeiras impressões antes, mas estou aqui e vamos nessa!

A Estranha mente de Seth nós trás aos tempos do Império, pouco antes da Primeira Grande Guerra. Seth R. é um jovem extremista, um pensador que vive entre aulas matinais na faculdade e noites de treino numa sociedade clandestina e assassina em Vojerasa.

“O agricultor não podia pagar todos os tributos ao seu senhorio, e por isso precisou arranjar um novo trabalho. Para aumentar a penúria, veio a desgraça. De seus oito filhos, somente dois restaram e chegaram à idade adulta. Ó que grande loucura!” Trecho retirado da música Ó que Grande Loucura do caderno perdido de Seth R.

De início já percebemos e nos habituamos a personalidade analítica e particularmente conturbada de Seth, jovem de 19 anos que não aceita ser controlado pelo império, ele quer algo maior, ele quer ser grandioso. Nos capítulos que li, percebe-se que a autora fez um ótimo trabalho dando entendimentos aos sentimentos e vontades de Seth, antes de inserir mais sobre a Face Negra, organização anarquista no qual ele é participante ativo.

O livro é baseado em fatos reais, em sua busca pela historia antiga a autora se encontrou Mary Saint, uma professora de Literatura da grande Faculdade Freiknort a qual lhe cedeu uma tradução das ultimas páginas do diário perdido de Seth R.

Cada página nos instiga a adentrar ainda mais na mente de Seth, um livro para amantes da História! Estou correndo para terminar de lê-lo!

Promoção: Concorra ao livro autografado (Post participante, porque não sou boba).
Esclarecimento da autora e mais sobre o lançamento do livro.
Clique aqui para comprar o livroE aqui para saber em que historia o livro é baseado.

B
Crítica do Filme TALVEZ UMA HISTÓRIA DE AMOR – Avaliação

A maioria dos fãs repugnantes antecipam energicamente uma estreia da classe nos cinemas e se animam com títulos que parecem enervantes, horríveis e cheios de impactos. Genética, o primeiro componente do chefe Ari Aster, é uma coisa alarmante, mas se abstém do costumeiro.

Com Toni Collette no elenco, o filme persegue a família Graham, que após o falecimento da matrona, começa a sofrer com terríveis acidentes e começa a encontrar insights privilegiados perpetuamente enervantes sobre seus progenitores. Quanto mais eles encontram sobre o passado, mais eles se esforçam para se desfazer do destino horrível e desanimado que adquiriram. Confie em mim, o título do filme é em certeza uma divulgação extraordinária sobre a história.

Segurando-se rapidamente na “nova ganância”, isto é, na pessoa que se abstém de cair no óbvio, o filme equivale a filmes como The Witch, Run! O que é mais, um lugar tranqüilo, que descobrir como congelar sem falar para pânicos definitivamente conhecidos, normal para tais filmes e deixando o observador inquieto com tiros simples, mas eficazes.

Aster gerencia a cultura religiosa reconhecível, Aster descobre como incorporar pequenas reviravoltas ao longo do enredo, fazendo com que os choques do filme sejam descobertos no minuto correto para alterar o curso da história. É o ponto em que ele prevalece no que diz respeito a atrair a concentração para o filho mais velho da família, Peter (Alex Wolff), que, apesar da remoção a princípio, se transforma em um personagem crítico para o resultado da trama.

Apesar de pequenas imperfeições, o conteúdo da Hereditariedade, da mesma forma composto por Aster, é preciso quando descobre o que veio. Seguindo a possibilidade deste novo tipo feito para o medo, o elemento tem uma corrida menos extraordinária, reservando uma pequena oportunidade para descobrir suas armadilhas e capturar o observador. Isto, combinado com o desejo do mais surgido ou efetivamente recebido com o medo convencional, pode produzir uma fadiga específica e torná-lo diante do olho a olho longo como um “filme de sangue e vísceras”. Em qualquer caso, a última demonstração garante o ajuste para qualquer descontentamento que surja em meio à trama, esclarecendo e amarrando cada uma das pontas intencionalmente deixadas em seu percurso.

Collette mostra sua flexibilidade imaculadamente. Sobre a chance de você dar uma olhada em sua filmografia, a artista performática já experimentou comédias como Little Miss Sunshine e a francesa Madame em andamento, mas também denotou sua profissão como Lynn Sear, a mãe de Cole em The Sixth Sense, um destaque entre os filmes mais vitais para a classe. Em Hereditária, novamente com medo, ela vive Annie com responsabilidade agregada e descobre como se mover como uma mãe frenética pelas vidas dos jovens. Como ela, a jovem personagem Milly Shapiro na tela faz sua apresentação nos cinemas e não desilude. Como quase um herói, o jovem de 15 anos interpreta um personagem encantador de extrema importância para o filme.

De fato, mesmo com uma questão efetivamente tendida, os interesses executivos com os outros dão uma olhada no assunto. Com referências claras de Rosemary’s Baby e The Exorcist, incríveis obras de arte assustadoras, o filme permanecerá como verdadeiramente notável de seu tipo, particularmente por seu método de contar uma história aterrorizante. Genetic vem demonstrar que tonificá-lo para baixo seria o melhor e que não é necessário exigir uma luz estridente ou executores sequenciais para perturbar adequadamente.

Crítica do Filme HEREDITÁRIO – Avaliação

A maioria dos fãs temerosos antecipam ansiosamente a estreia da classe nos cinemas e se animam com títulos que parecem assustadores, perversos e cheios de impactos. Inato, o primeiro componente do executivo Ari Aster, é uma coisa surpreendente, mas se livra do costume.

Com Toni Collette no elenco, o filme persegue a família Graham, que após o falecimento da matrona, começa a suportar com horrendos contratempos e começa a encontrar insights privilegiados sempre enervantes sobre seus precursores. Quanto mais eles encontram sobre o passado, mais eles tentam se livrar do destino terrível e conturbado que adquiriram. Confie em mim, o título do filme é na verdade uma revelação incrível sobre a história.

Aderindo ao “novo horror”, isto é, a pessoa que se abstém de cair no auto-evidente, o filme é equivalente a filmes como The Witch, Run! também, A Quiet Place, que descobre como congelar sem falar com pânicos definitivamente conhecidos, normais para tais filmes, além de deixar o observador inquieto com fotos simples e produtivas.

Aster gerencia a cultura religiosa reconhecível, Aster descobre como inserir pequenos contornos de trama por todo o enredo, fazendo com que as maravilhas do filme sejam descobertas no minuto correto para alterar o curso da história. É o ponto em que ele prevalece no que diz respeito a atrair a concentração para o filho mais velho da família, Peter (Alex Wolff), que, apesar da separação a princípio, se transforma em um caráter imperativo para o resultado da trama.

Apesar de pequenas imperfeições, o conteúdo da Hereditariedade, adicionalmente composto por Aster, é exato quando descobre ao que veio. Seguindo a possibilidade deste novo tipo feito por medo, o componente tem uma corrida menos excepcional, reservando uma pequena oportunidade para descobrir suas armadilhas e capturar o observador. Isto, combinado com o desejo pelo mais apressado ou recebido oficialmente com o temor costumeiro, pode produzir um cansaço específico e torná-lo antes de muito próximo e pessoal como um “sangue e sangue”. Em qualquer caso, a última demonstração garante o ajuste para qualquer descontentamento que surja em meio à trama, esclarecendo e amarrando cada uma das pontas intencionalmente deixadas em seu percurso.

Collette exibe sua flexibilidade sem falhas. No caso de você dar uma olhada em sua filmografia, a personagem na tela tem experimentado comédias como Little Miss Sunshine e o francês Madame em andamento, mas também denotou sua vocação como Lynn Sear, a mãe de Cole em The Sixth Sense, um destaque entre os filmes mais imperativos para a classe. Em Hereditária, mais uma vez em pavor, ela vive Annie com dever agregado e descobre como se mover como uma mãe urgente para as vidas dos jovens. Como ela, a jovem personagem Milly Shapiro faz sua apresentação nos cinemas e não se frustra. Como quase um herói, o jovem de 15 anos interpreta um personagem magnético de extrema importância para o filme.

De fato, mesmo com uma questão oficialmente cuidada, o chefe cativa com outra pessoa para dar uma olhada no assunto. Com referências claras de Rosemary’s Baby e The Exorcist, incríveis obras de arte de horror, o filme permanecerá como verdadeiramente notável de seu tipo, particularmente por seu método de contar uma história surpreendente. Herdado vem demonstrar que seria melhor enfraquecê-lo e que não é necessário exigir uma luz bruxuleante ou executores sequenciais para irritar de maneira viável.

Crítica do Filme OS INCRÍVEIS 2 – Avaliação

Além disso, a Vespa é uma extraordinária paródia, supera o filme primário e mesmo sem o apelo e estilo dos Guardiões da Galáxia ou Thor: Ragnarok, descobre como ser um filme incrível para dar sidaas com super-heróis. O executivo Peyton Reed apoiou tudo para o principal homem inseto, por exemplo, humor e atividade inventiva. Também que a Vespa provoca uma medida considerável para tornar este filme algo extremamente divertido.

Por uma questão de primeira importância, não espere que o filme prossiga com o enredo de Vingadores: Guerra Infinita, depois de todo o tempo antes de Thanos estalar os dedos e matar metade do universo. É tudo menos um spoiler, já que é no resumo autêntico da Marvel, que demonstra o que ocorreu com Scott Lang (Paul Rudd) após a Guerra Civil, com a lenda sob a captura da casa na esteira de ajudar o Capitão América e seus companheiros na Alemanha.

Em qualquer caso, isso não significa que o filme ignora o que ocorreu no universo dos filmes da Marvel, afinal a cena principal dos pós-créditos alcança as revelações dos Vingadores 4. Pense nessa última cena como o que encabeça uma coisa boa depois de um decente sessão de experiência e cachos de snickers.

Da mesma forma que o homem inseto primário subterrâneo, que é aparentemente o filme MCU mais leve na medida do enredo e tom, o spin-off mantém essa força e agarra a louca vez das forças de Scott e faz isso enquanto ainda faz atividades incríveis cenas, constantemente brilhantes. O erro está no domínio quântico, a minúscula medida eletiva em que Janet van Dyne (Michelle Pfeiffer) foi evidentemente pega há muito tempo. O filme investiga quase nada desse lugar e, depois do doutor Strange, a cena subatômica pareceu um tanto tediosa, por mais prazerosa que fosse.

Curiosamente, tanto Ant-Man e Vespa têm um significado semelhante no filme, Hope dá qualidade e apelo ao filme, uma vez que a necessidade de salvar sua mãe perdida dá à história um peso entusiástico extremamente próximo de casa e garante inúmeros recursos para a Evangeline Lilly. , que ainda tem incríveis batalhas e trocas.

Claro, Michael Pena está incluído mais uma vez, no entanto, é o pequeno Abby Ryder Fortson que assume a cena, mesmo como Cassie. Seu charme e associação com Scott superam os espectadores, nada mais simplesmente mede seu fascínio. É fascinante que até mesmo Randall Park possa brilhar no ingrato trabalho do especialista do FBI Jimmy Woo, que parece quase nada, apesar de rir de cada espírito.

Enquanto a vida baixa de Ghost é fascinante e pode ser um rival incrível, seu trabalho acaba sendo extremamente superficial durante todo o filme, apesar do fato de que ela definitivamente não é uma grande traidora nas histórias de filmes da Marvel, que agora é algo para ser grato por si mesmo. O equivalente vale para Walton Goggins como Sonny Burch, um criminoso que aparece de forma confiável na época em que as lendas vão cuidar de seus problemas. O artista performático é magnético e seu caráter cria interesse, mas a maneira como ele aparece, mesmo nas condições menos favoráveis, é um componente de conteúdo míope e dispensável. Felizmente, de qualquer forma, o personagem na tela faz grandes risadas quando está em cena.

É fascinante ver os dois scalawags novamente em cena em filmes futuros, no entanto, eles precisariam aparecer em mais profundidade e menos como envolvimentos convincentes do conteúdo.

A certeza é: Homem-Formiga E A Vespa percebe como influenciar uma risadinha e, além disso, investigar incríveis cenas imaginativas de atividade em sua trama, e ao longo destas linhas merece uma considerável medida de aclamação. O componente não traz nada novo de verdade, mas é ótimo ver algo leve depois da Guerra Infinita. Wonder Cinematic Universe indica por e em que ele percebe como alternar entre os tipos e tons, sem perder sua personalidade, uma equação de vitória para a Marvel Studios ao longo desses 10 anos de rua.

MALUCA PAIXÃO Ótimo Filme
Meninas , voltei com a tag INDICO , já havia até me esquecido..rsrsr…eu sei que hoje é sábado , tô atrasada né ? Mas , quem ainda não assistiu vale muitooo à pena ver… Essa comédia é engraçada e ao mesmo tempo romântica ( sem ser boba ).

Sinopse : Mary Horowitz (Sandra Bullock) é uma mulher excêntrica que trabalha criando palavras cruzadas. Ela está convencida que Steve (Bradley Cooper), um cinegrafista da CNN, é o grande amor de sua vida. Por Causa disso, passa a persegui-lo ao redor do país, na esperança de convencê-lo de que foram feitos um para o outro.
IDAS E VINDAS DO AMOR… Filme Ótimo

Esse fim de semana , assisti IDAS E VINDAS DO AMOR . Uma comédia romântica encantadora, para quem não assistiu e gosta do gênero , recomendo.

Sinopse: ‘Idas e Vindas do Amor’ nos traz um elenco de astros e estrelas vivendo as histórias de um grupo de habitantes de Los Angeles com pouco em comum, cujas vidas se cruzam, em meio a romances e corações partidos, durante um Dia dos Namorados. Casais e solteiros vivenciam os altos e baixos de encontrar, manter ou terminar relacionamentos no dia do amor.
5 Filmes “mulherzinha” para Ver (ou rever)
Geralmente nós mulheres adoramos um filme que tenha romance né? Quando eu gosto de um filme, assisto várias vezes haha! Então, como o final de semana está chegando \o/ selecionei para vocês 5 filmes que eu adoro, todos tem um pouco de comédia e aquele “romance” que faz toda diferença ♥.
A Vingança das Damas de Honra: Abigail (Raven-Symoné) e Parker (JoAnna Garcia Swisher) decidem ajudar a amiga Rachel (Chryssie Whitehead) a recuperar o grande amor de sua vida, Tony (Lyle Brocato). Ele está prestes a se casar com Caitlyn (Virginia Williams) e Rachel é uma das damas de honra. Abigail e Parker se aproximam da noiva e, infiltradas na cerimônia como damas, tentam impedir que a união se concretize.
Do Outro Lado da Linha: Após ter problemas com seu cartão de crédito, Granger Woodruff faz amizade com uma simpática atendente de telemarketing que concorda em conhecê-lo pessoalmente em um hotel de São Francisco. Porém, ela não aparece e Woodruff conhece uma mulher de origem indiana, Priya Sethi, que diz ter vindo aos EUA para assistir o casamento de um parente. Porém, Woodruff tem uma grande surpresa quando descobre que na verdade é Priya Jennifer viajou para os EUA sem avisar sua família e está de casamento marcado com o rico Vikram Bhatia. Granger Woodruff vai ter que encarar a ira do pai de Priya, que foi obrigado a viajar a procura da filha, junto com sua esposa, Manju, para obrigá-la a voltar para casa e se casar com Vikram.
O Príncipe e Eu: Um convite inesperado faz a jovem Jules viajar com sua sobrinha e seu sobrinho para um castelo na Europa onde irão passar o Natal com o avô das crianças, o duque de Castlebury e seu filho o príncipe Ashton. É um mundo novo para Jules e as crianças que aos poucos descobrem novos ambientes do castelo, e logo o riso começa a ecoar nos tranquilos corredores enchendo a todos de esperança e alegria renovada para a temporada. No entanto, Jules e o príncipe Ashton acabam se apaixonando, a vida de ambos começa a mudar e nasce um romance encantador levando os laços inquebráveis da família a tradição do feriado de natal.
Antes Só do que Mal Casado: Eddie Cantrow (Ben Stiller) é um solteirão convicto, que jamais teve coragem de ter um relacionamento sério e duradouro. Isto muda quando ele conhece Lila (Malin Akerman), uma mulher sexy e aparentamente fabulosa. Pressionado por seu pai (Jerry Stiller) e Mac (Rob Corddry), seu melhor amigo, Eddie decide se casar com ela, mesmo conhecendo-a há apenas seis semanas. Porém, quando eles rumam para a lua-de-mel no México, Lila demonstra ser uma pessoa bem diferente da que Eddie conheceu, tornando-se uma mulher insuportável. Irritado com a transformação de sua esposa, Eddie conhece Miranda (Michelle Monaghan), uma jovem por quem se apaixona. Agora ele precisa encontrar um meio de manter Lila afastada, para que possa conquistar Miranda.
Noivos Por Acaso: Josh (Shane McRae) e Molly (Aubrey Dollar) são amigos de infância, e num voo de volta para Chicago eles concordam em fingir um noivado para agradar o pai de Josh, que esta morrendo. Mas as coisas saem rapidamente de controle quando suas famílias barulhentas se envolvem no relacionamento. E uma série de eventos faz com que eles tenham que agir como um casal de verdade e começar a planejar o casamento.
Sou suspeita para falar, mas meus favoritos são Do Outro Lado da Linha e Antes Só do que Mal Casado (gargalhadas garantidas).
Espero que gostem das dicas =D
Crítica do Filme OITO MULHERES E UM SEGREDO – Avaliação

Desde a declaração da estréia de Oito Mulheres e o Segredo, uma medida considerável foi dita em relação aos desejos que girariam em torno de uma moda absolutamente longa, com incríveis personagens na tela e esse assunto, mesmo adágio, seria visto de uma forma muito visão surpreendente, já que a possibilidade de um desligamento de Onze Homens e Um Segredo após 17 anos de sua alta é, de certo modo, atraente.

(Sandra Bullock) partiu para pegar uma joia da marca Cartier de US $ 150 milhões, em meio a uma ocasião espalhafatosa que une enormes estrelas de Hollywood. Entre os malfeitores estão Lou (Cate Blanchett), Rosa (Helena Bonham Carter), Nine Ball (Rihanna), Tammy (Sarah Paulson), Constança (Awkwafina), Amita (Mindy Kaling) e Daphne Kluger (Anne Hathaway).

Debbie é simplesmente a beneficiária do erro. Danny Ocean, personagem de George Clooney em Onze Homens e O Segredo. Ela está familiarizada com a gente fora da prisão, na sequência de ter cometido uma ofensa legal. Além do mais, obviamente, Debbie não se senta na próxima rodada. Além disso, essa é a maneira pela qual sua jornada para os melhores investigadores do delito começa.

Independentemente de ser feito para ser leve e divertido, o filme não escapa, uma vez que a demonstração principal produz o embotamento. Seguindo uma linha similar da primeira, todo o arranjo é contatado de uma forma, o que leva a Oito Mulheres e o Segredo a chance de acabar excepcional e distinta na possibilidade de mudar a organização da história e transmitir uma estranheza à autoridade de o estabelecimento. Não é de forma alguma que o empreendimento de enredo e vento impressiona tanto quanto deveria.

Uma derrota digna de nota é que o filme não mergulha fundo em exibir melhor quem são os indivíduos da reunião. Isso torna o filme um pouco superficial e desconsidera a comunicação do espectador com os personagens, algo que seria perfeito, dado o peso que é uma parte da tarefa e como ela funciona. Seja como for, apesar de conhecer a administração de Debbie na reunião, há certo interesse em entender o que cada uma das outras senhoras entrará na surpreendente emboscada.

Todas as coisas são iguais, o filme tem seus hits. O ataque está persuadindo, deixando um estado de espírito de tensão no observador para saber se tudo vai dar certo. Com cenas perfeitas e envolventes do Met Gala, é estranho não conseguir uma risada decente com os bandidos, colocando suas capacidades em treinamento para obter a gema. Da mesma forma, vendo a promessa de Debbie para o acordo, além de um toque de retribuição em seu ex, Claude Becker (Richard Armitage), tornar as coisas um pouco mais fascinantes.

Oito mulheres e um segredo é exclusivamente e apenas em torno de um ataque. Na verdade, mesmo com um pensamento inteligente de reunir um encontro apinhado de mulheres no meio de desenvolvimentos como o Times Up e o #MeToo, para a maior parte dos artistas que estão associados à razão, por exemplo, Blanchett e Hathaway. Nessa linha, o elemento não explora o minuto e trágicamente perde a oportunidade de emergir como destaque entre outras comédias do ano.